한국어 English 日本語 中文 Deutsch Español हिन्दी Tiếng Việt Русский LoginCadastre-se

Login

Bem-vindo(a)!

Obrigado por visitar a página web da Igreja de Deus Sociedade Missionária Mundial.

Você pode fazer login para acessar a área exclusiva para os membros da página web.
Login
Usuário
Senha

Esqueceu-se da Senha? / Cadastre-se

É proibido copiar e distribuir os sermões em texto. Por favor, guarde o que compreendeu através dos sermões no seu coração e espalhe-o pela fragrância de Sião.

A Fonte do Poder para o Cumprimento da Obra da Salvação

Nossos irmãos e irmãs da família de Sião têm trabalhado arduamente juntos com um só coração na fé. Como resultado, mais de 7.000 Siões foram estabelecidas em todo o mundo. Vendo esta surpreendente obra da salvação, alguns podem pensar que foi possível porque um certo departamento da Grande Assembleia é bom em planejamento, e outros podem pensar que alcançamos grandes resultados porque temos ministros pastorais e missionários que nasceram com um excelente dom de liderança.

Contudo, se o observarmos através da Bíblia, podemos compreender que o evangelho do reino será pregado em todo o mundo independente de quem Deus indicar, e que a obra da salvação pode se cumprir através da ajuda de Deus. Somos simplesmente anjos decaídos que foram jogados a esta terra como consequência do ato de ter cometido pecados no mundo angélico. Nenhum de nós deve ser arrogante nem orgulhoso. Pelo contrário, devemos dar graças a Deus e nos arrepender mais, tendo a fé do publicano, que disse: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” Com este tipo de fé, devemos avançar ao reino dos céus, sempre pensando de onde vem o poder de cumprir a obra da salvação.

Israel prevaleceu quando Moisés levantou as mãos


Houve uma guerra entre Israel e Amaleque durante a jornada de 40 anos de Israel pelo deserto. Josué e o exército israelita dirigido por ele, saíram a pelejar contra Amaleque e obtiveram a vitória. Contudo, a vitória de Israel não dependia de Josué, que foi quem dirigiu o exército, nem dos soldados que o seguiam.

Êx. 17:8-13 『Então, veio Amaleque e pelejou contra Israel em Refidim. Com isso, ordenou Moisés a Josué: Escolhe-nos homens, e sai, e peleja contra Amaleque; amanhã, estarei eu no cimo do outeiro, e o bordão de Deus estará na minha mão. Fez Josué como Moisés lhe dissera e pelejou contra Amaleque; Moisés, porém, Arão e Hur subiram ao cimo do outeiro. Quando Moisés levantava a mão, Israel prevalecia; quando, porém, ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque. Ora, as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram por baixo dele, e ele nela se assentou; Arão e Hur sustentavam-lhe as mãos, um, de um lado, e o outro, do outro; assim lhe ficaram as mãos firmes até ao pôr do sol. E Josué desbaratou a Amaleque e a seu povo a fio de espada.』

A guerra estava em pleno apogeu enquanto eles lutavam entre si. Nesse momento, Moisés estava sobre o cimo do outeiro. Quando levantava suas mãos, Israel prevalecia, e quando as abaixava, prevalecia Amaleque. O resultado da guerra dependia de Moisés, se ele levantava ou baixava suas mãos. Moisés manteve suas mãos elevadas, e finalmente Israel obteve a vitória.

O que aconteceu aos israelitas no deserto mostra claramente o que serve como força propulsora da vitória para nós que estamos percorrendo o caminho do deserto da fé hoje. Moisés representa Jesus, que é o próprio Deus. Assim como Israel pôde ganhar quando Moisés levantou suas mãos, a obra do evangelho nesta última época, a época do Espírito Santo, pode se cumprir quando Deus está conosco e nos ajuda. A respeito da obra de construir o templo, Deus disse: “Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito” (Zc.4:6). Sem a ajuda de Deus, é impossível realizar a obra de salvar o mundo, não importa quão sábios e inteligentes sejam os líderes e quantas igrejas e membros tenhamos. É como o exército de Israel que não pôde ganhar a batalha sem que Moisés levantasse suas mãos, independentemente do quão hábil e excelente tenha sido Josué como líder, e de quantos comandantes valentes, soldados e armas poderosas tivesse tido.

Necessitamos absolutamente do apoio e encorajamento de Deus. A nossa santa Mãe celestial está levantando suas mãos nos bastidores, desejando nossa vitória e orando por nós. Já que a Mãe nos apoia desta maneira, a surpreendente obra da salvação está sendo realizada agora. Gravando este fato no coração, pensemos de onde vem todo o poder e participemos do evangelho. É claro, Josué e o exército de Israel tiveram que lutar a batalha enquanto Moisés levantava suas mãos. Como Josué, estamos lutando espiritualmente o bom combate da fé, mas a nossa vitória depende da Mãe celestial que ora por nós, e nos dá força espiritualmente. Não devemos esquecer disto.

O mar Vermelho, que era um obstáculo, converteu-se em instrumento para a salvação


A divisão do mar Vermelho também nos ensina que nunca podemos realizar a obra do evangelho por nossa própria força ou poder, esquecendo-nos de Deus. Quando os israelitas saíram do Egito e partiram para Canaã, a terra que mana leite e mel, o primeiro obstáculo que enfrentaram foi o mar Vermelho. A maioria das pessoas pensa que o mar Vermelho é um mar pouco profundo, mas é muito profundo. Os chefes e os príncipes das tribos de Israel devem ter ficado preocupados sobre como cruzar o mar Vermelho com mais de três milhões de pessoas além de seus rebanhos de animais domésticos. Contudo, como Deus os ajudou, o profundo e amplo mar Vermelho se abriu imediatamente, formando um caminho para eles.

Êx. 14:10-21 『E, chegando Faraó, os filhos de Israel levantaram os olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então, os filhos de Israel clamaram ao SENHOR. [...] Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do SENHOR que, hoje, vos fará; porque os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O SENHOR pelejará por vós, e vós vos calareis. Disse o SENHOR a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem. E tu, levanta o teu bordão, estende a mão sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco. [...] Então, Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o SENHOR, por um forte vento oriental que soprou toda aquela noite, fez retirar-se o mar, que se tornou terra seca, e as águas foram divididas.』

O mar Vermelho era um obstáculo insuperável para os israelitas. Contudo, quando Deus os ajudou, os obstáculos se converteram em um atalho até Canaã, a terra prometida, e num instrumento de salvação para proteger os israelitas de seus inimigos, destruindoos. Do mesmo modo, se Deus está conosco, os obstáculos já não são obstáculos, e sim ferramentas para nos proteger e ajudar.

Nem Moisés nem seu bordão dividiram o mar Vermelho. Aqueles que apenas creem no que veem, poderiam pensar que o poder de dividir o mar Vermelho veio do bordão de Moisés, porém o bordão não tinha nenhum poder divino. Quem infundiu no bordão o seu poder? Moisés apenas estendeu o seu bordão quando Deus disse: “Levanta o teu bordão, estende a mão sobre o mar”. Então Deus fez tudo por ele.

O evangelho avança lentamente se pensamos que o realizamos por nós mesmos. Apenas quando compreendemos a onipotência de Deus e pedimos sua ajuda, o evangelho pode progredir. Estou certo de que, devido aos membros terem este tipo de entendimento e fé, Deus fez uma obra milagrosa como a divisão do mar Vermelho, o estabelecimento de mais de sete mil Igrejas em todo o mundo até o ano passado. Também este ano, gravemos isto no profundo do nosso coração. O evangelho não é algo que se cumpre pelas capacidades humanas. Inclusive um bordão pouco atrativo de um pastor pode ser infundido com um poder suficientemente grande para dividir o mar Vermelho. Creiamos nisto e cumpramos a obra do evangelho. A fonte de todo o poder é Deus; nós apenas temos que ir e entregar o recado de Deus, que é nossa missão dada por ele, a de pregar sua palavra. Então ele fará tudo por nós.

A história da serpente de bronze: a salvação depende de Deus.


Sem a ajuda de Deus, não podemos obter nenhum progresso na obra da salvação. Isto pode ser visto através do que aconteceu no passado e do que está acontecendo conosco nesta época. Nunca nos esqueçamos de Deus em nenhuma circunstância, mas sempre pensemos de onde vem o poder da salvação. Não é nosso próprio método ou força o que faz possível a salvação. Deus nos fez dotados de poder, pelo qual podemos guiar a todas as pessoas do mundo para a salvação.

Nm. 21:4-9 『Então, partiram do monte Hor, pelo caminho do mar Vermelho, a rodear a terra de Edom, porém o povo se tornou impaciente no caminho. E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito, para que morramos neste deserto, onde não há pão nem água? E a nossa alma tem fastio deste pão vil. Então, o SENHOR mandou entre o povo serpentes abrasadoras, que mordiam o povo; e morreram muitos do povo de Israel. [...] Então, Moisés orou pelo povo. Disse o SENHOR a Moisés: Faze uma serpente abrasadora, põe-na sobre uma haste, e será que todo mordido que a mirar viverá. Fez Moisés uma serpente de bronze e a pôs sobre uma haste; sendo alguém mordido por alguma serpente, se olhava para a de bronze, sarava.』

Os israelitas que foram mordidos pelas serpentes abrasadoras, puderam viver ao olhar à serpente de bronze. Foi um milagre causado pelo poder de Deus. Contudo, os israelitas adoraram nesciamente a serpente de bronze durante cerca de 800 anos, até a época de Ezequias. Esquecendo-se de Deus, apenas olharam os fenômenos visíveis. Isto os fez cair na ilusão de que a serpente de bronze os havia salvado, e terminaram adorando ídolos.

A fonte do poder não era a serpente de bronze nem Moisés, quem serviu como mediador entre Deus e o povo, mas a palavra de Deus: “Todo mordido que mirar a serpente de bronze viverá”. Aqueles que obedeceram a palavra de Deus, viveram por sua fé. A vitória do exército de Josué na batalha contra Amaleque, a divisão do mar Vermelho com o bordão de Moisés, a história da serpente de bronze... Através de todos estes eventos históricos, podemos descobrir que Deus sempre trabalha nos bastidores para a obra da salvação com o seu poder.

Então, em quem devemos confiar para a nossa salvação? Numerosas coisas estão sucedendo em nossos ambientes evangélicos. Às vezes nos faltam muitas coisas, e às vezes há muitos obstáculos. Quando isto acontece, não devemos fixar o nosso olhar em alguém ao nosso redor, nem nos focar em nosso entorno e em condições externas. Do contrário, seguiremos nos queixando sempre até o final de nosso caminho no deserto da fé como os israelitas fizeram.

Sempre devemos pensar em Deus ao invés de tentar resolver os problemas por meio de coisas visíveis e físicas. Deus é a fonte de todo o poder para completar a obra da salvação. Quando acreditamos nisto e obedecemos a Deus, os obstáculos podem tornar-se em instrumentos para nos ajudar.

Lembrem-se de Deus


Satanás não se dá por vencido facilmente, e continua nos impedindo de estabelecer o reino do evangelho de Deus. Apesar de tantas dificuldades, nossa Igreja está sendo estabelecida em todo o mundo porque Deus sempre está conosco. Apenas quando Deus levanta suas mãos, pode ser realizada a obra da salvação. Sempre devemos ter em conta isto e nunca esquecer de dar glória e graças a Deus.

Dt. 8:11-18 『Guarda-te não te esqueças do SENHOR, teu Deus, não cumprindo os seus mandamentos, os seus juízos e os seus estatutos, que hoje te ordeno; para não suceder que, depois de teres comido e estiveres farto, depois de haveres edificado boas casas e morado nelas; depois de se multiplicarem os teus gados e os teus rebanhos, e se aumentar a tua prata e o teu ouro, e ser abundante tudo quanto tens, se eleve o teu coração, e te esqueças do SENHOR, teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão, que te conduziu por aquele grande e terrível deserto de serpentes abrasadoras, de escorpiões e de secura, em que não havia água; e te fez sair água da pederneira; que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheciam; para te humilhar, e para te provar, e, afinal, te fazer bem. Não digas, pois, no teu coração: A minha força e o poder do meu braço me adquiriram estas riquezas. Antes, te lembrarás do SENHOR, teu Deus, porque é ele o que te dá força para adquirires riquezas; [...]』

Um dos pontos principais que podemos pegar como lição neste caminho percorrido pelos israelitas no deserto é o de que não devemos esquecer de Deus. Nenhum de nós deve esquecer de Deus, que é a fonte do poder para alcançar a salvação. Se levarmos em conta que todo o poder vem de Deus e sempre pedirmos sua ajuda, poderemos progredir na obra do evangelho. Contudo, se tivermos pensamentos equivocados: “Eu mesmo o fiz e posso fazê-lo melhor que outros”, inclusive as coisas que foram conquistadas até agora, chegarão a ser um castelo de areia. Deus nos conhece muito bem porque ele nos criou, por isso nos diz que não o esqueçamos mesmo que nosso ouro e nossa prata aumentem e nossas circunstâncias melhorem.

Se esquecermos de Deus, nossa vida de fé não tem sentido. Deus nos protege e nos mantém a salvo de qualquer obstáculo. Contudo, se orgulhosamente pensarmos que o fizemos por nós mesmos, já não podemos esperar a ajuda de Deus e haverá problemas em todas as partes.

Dt. 8:1-3 『Cuidareis de cumprir todos os mandamentos que hoje vos ordeno, para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR prometeu sob juramento a vossos pais. Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos. Ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conhecias, nem teus pais o conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do SENHOR viverá o homem.』

Durante a viagem de quarenta anos dos israelitas no deserto, Deus os provou para ver se guardariam ou não seus mandamentos. Deus fez isso com um forte desejo de ajudá-los a alcançar uma fé completa e abençoá-los no final. Como Deus sabia que esqueceriam dele facilmente em circunstâncias cômodas, os guiou através do árido deserto e os pôs em diversas situações. Às vezes os fazia ter fome, e também fez com que o exército egípcio os perseguisse. Se Deus tivesse dividido o mar Vermelho logo, não teria tido a necessidade de o povo de Israel fugir do Egito sentindo-se ansioso. Diante do mar Vermelho, os que eram infiéis se queixaram; eles caíram em tentação. Assim, Deus provou sua fé durante toda a viagem no deserto de quarenta anos.

Não devemos cair em tentação. Deus habita em Sião. Não apenas Deus Pai, mas também Deus Mãe está conosco e nos guia, dando-nos coragem e força, para que possamos cumprir a missão de pregar o evangelho. A obra do evangelho se cumpre pelo poder de Deus, não pelo nosso. Portanto, confiemos sempre em Deus e peçamos sua ajuda através de oração quando realizamos a obra do evangelho. Para a pessoa que pensa com orgulho: “Fiz com as minhas próprias habilidades”, Deus disse:

1Co. 4:7 『Pois quem é que te faz sobressair? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te vanglorias, como se o não tiveras recebido?』

Tudo o que temos é de Deus. Durante os quarenta anos no deserto, Deus fez tudo por seu povo. Quando era difícil para eles fazerem algo, Deus os ajudava a fazê-lo; fez um caminho; e inclusive converteu os obstáculos em instrumentos de ajuda, com o fim de que pudessem atravessar com segurança o difícil processo. Aprendendo uma lição desta história, nunca devemos nos esquecer de Deus.

Deus agora está abrindo os caminhos para o evangelho para que a água da vida que flui desde o Santo dos Santos possa correr mais longe e mais profundamente no mundo. O evangelho está se espalhando no Alasca, uma terra congelada, cheia de gelo e neve, na selva amazônica e inclusive nas regiões remotas das cordilheiras do Himalaia e dos Andes. No ano passado, muitas Siões foram estabelecidas sob a bênção de Deus. Não devemos esquecer quem fez isto, para que possamos guiar muitas almas ao caminho da salvação também este ano.

Deus, que é a fonte do poder para o cumprimento da obra da salvação, está conosco e nos guia. Apenas quando Deus levanta suas mãos podemos obter a vitória. Tendo em conta isto, peçamos ajuda ao Pai e à Mãe celestiais e preguemos o evangelho em Samaria e até aos confins da terra. Então poderemos cumprir a obra da salvação sem falta. Eu peço sinceramente que todos sigam a orientação do Pai e da Mãe celestiais com alegria e obediência e proclamem a glória de Jerusalém em todo o mundo, de modo que possam entrar no reino dos céus, a eterna Canaã celestial.