한국어 English 日本語 中文 Deutsch Español हिन्दी Tiếng Việt Русский LoginCadastre-se

Login

Bem-vindo(a)!

Obrigado por visitar a página web da Igreja de Deus Sociedade Missionária Mundial.

Você pode fazer login para acessar a área exclusiva para os membros da página web.
Login
Usuário
Senha

Esqueceu-se da Senha? / Cadastre-se

É proibido copiar e distribuir os sermões em texto. Por favor, guarde o que compreendeu através dos sermões no seu coração e espalhe-o pela fragrância de Sião.

A Obra Mais Grandiosa

Há vários trabalhos e profissões no mundo. Entre eles há muitas obras grandiosas que beneficiam as pessoas, despertam o espírito da época e marcam a história. Então, qual é a obra mais grandiosa?

Deus é realmente grandioso. Sem dúvida, tudo o que o grandioso Deus determina e realiza, também é grandioso. Deus nos confiou uma de suas grandes obras que ele faz. Esta é a pregação; como diz: “Pregai o evangelho a todas as nações do mundo” (Mt. 24:14).

Pelas coisas do mundo pode haver a sua própria satisfação e valor, mas a sua glória dura pouco tempo e logo se desvanece. Contudo, “a obra de pregar o evangelho” que Deus nos confiou é uma missão que resplandecerá eternamente (Dn. 12:3). Até os anjos ou seres espirituais no céu não estão autorizados a fazer esta obra, embora eles queiram; esta é um especial e precioso dever que é concedido somente aos filhos de Deus que herdaram a carne e o sangue de Deus.

A Pregação, a obra mais grandiosa


Através da Bíblia, vejamos o que Deus fez quando veio a esta terra.

Lc. 19:10 『Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.』

O propósito de Jesus vir do céu a esta terra era buscar e salvar o perdido. A obra mais grandiosa que Deus, o mais grandioso, desejava cumprir ao vir a esta terra até mesmo vestindo a roupa de carne, era buscar seus filhos que haviam se perdido do céu por causa do pecado e lhes guiar ao perdão dos pecados e à vida eterna.

Jesus mesmo nos mostrou o exemplo de como devemos realizar esta obra mais grandiosa.

Mc. 1:35-38 『Tendo-se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto e ali orava. Procuravam-no diligentemente Simão e os que com ele estavam. Tendo-o encontrado, lhe disseram: Todos te buscam. Jesus, porém, lhes disse: Vamos a outros lugares, às povoações vizinhas, a fim de que eu pregue também ali, pois para isso é que eu vim.』

Alta madrugada, sendo ainda escuro, Jesus se levantou, orou e foi a cada povoação para pregar. E disse: “Para isso é que eu vim”.

No evangelho de Lucas, Jesus nos fez compreender que o propósito da vinda de Cristo a esta terra era a “salvação”, e no evangelho de Marcos, disse que veio para a “pregação”. Aqui, podemos entender que a pregação é a obra mais importante e grandiosa que devemos fazer para salvar a humanidade. A pregação, que fazemos agora, é a maior obra que Deus, o mais grandioso, fez para a nossa salvação.

A pregação confiada aos aprovados por Deus


A pregação não é uma obra permitida a qualquer um. Se vocês precisassem entregar a alguém algo de muito valor, para quem pediriam? Ninguém pediria a um passante desconhecido. Tal tipo de pedido seria confiado a algum dos seus filhos, ainda mais confiável, que sempre obedece às palavras do pai e da mãe.

Deus também não permitiu a qualquer um a missão da pregação, pelo contrário, ele a pediu aos aprovados.

1Ts. 2:4 『pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, [...]』

Do ponto de vista espiritual, a pregação é uma missão realmente muito importante que guia os pecadores mortais ao caminho da salvação. Assim como um trabalho importante não é encarregado a qualquer um, a missão de pregar o evangelho é permitida apenas aos que souberam e compreenderam plenamente o valor da salvação. Deus confiou esta grande missão somente a nós e a ninguém mais; este fato prova quão firmemente Deus crê e confia em nós.

Tt. 1:2-3 『na esperança da vida eterna que o Deus que não pode mentir prometeu antes dos tempos eternos e, em tempos devidos, manifestou a sua palavra mediante a pregação que me foi confiada por mandato de Deus, nosso Salvador,』

Deus que veio a esta terra para realizar a maior obra, manifestou a sua palavra mediante a pregação e confiou novamente esta obra grandiosa a nós. A todas as pessoas do mundo, quem pode proclamar Deus Elohim, que veio para nos salvar, e a verdade da Nova Aliança da vida eterna? Isto é algo que somente nós, a família de Sião, a quem foi confiado o evangelho, sendo aprovados por Deus, podemos fazer.

Na dinastia Joseon da Coreia, os príncipes e as princesas recebiam educação especial, diferente do povo comum. Em particular, o príncipe herdeiro, escolhido para suceder o trono, recebia ainda mais. Ele tinha que estudar os clássicos confucionistas e a história, além disso, devia ser educado rigorosa e minuciosamente até sobre etiqueta, maneira de andar e agir. Se não fosse apropriadamente educado, ele podia perder a sua posição de herdeiro. Mesmo que pudesse ter sido uma série de aflições para ele, na verdade todo o processo era para se tornar um grande rei.

A pregação que fazemos agora também não é uma coisa que qualquer um pode fazer. A pregação é a missão que Deus nos deu para nos tornar o “sacerdócio real” que receberá a herança celestial. Deus confiou a maior obra aos seus herdeiros do reino celestial que merecem realizá-la.

Se não considerarmos importante o ministério de evangelista, seremos exatamente como um príncipe herdeiro que não se esforça para treinar a fim de ter o caráter do rei. Este tipo de pessoa terá arrebatada sua preciosa posição preparada para ela por outra pessoa, igual a Esaú, cuja primogenitura foi tomada pelo seu irmão Jacó, por desprezá-la.

Aquele que não compreende a importância da pregação, não é diferente daquele que escondeu um talento na terra (Mt. 25:14-30). Precisamos refletir mais uma vez, perguntando-nos, mesmo que esta obra seja um trabalho que devemos fazer, se temos considerado esta obra grandiosa, que o Pai e a Mãe nos confiaram, inferior às coisas do mundo, e se temos tido a mesma mentalidade de Esaú que desprezou a bênção que Deus lhe deu.

Pregai da parte de Deus


Deus nos confiou a responsabilidade e autoridade de pregar o evangelho da sua parte.

Ez. 3:16-17 『Findos os sete dias, veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; da minha boca ouvirás a palavra e os avisarás da minha parte.』

O ministério de um evangelista é avisar da parte de Deus as pessoas. Deus outorgou a qualificação e a autoridade de representá-lo a ninguém, exceto aos evangelistas.

O rei de uma nação não permite a qualquer um a autoridade de executar no lugar dele. Ele concede essa autoridade a quem ele escolheu depois de cuidadosa consideração durante muito tempo. Da mesma forma, quem Deus escolheu dentre todas as nações para pregar a sua palavra a todo o mundo, somos nós.

Já que da parte de Deus avisamos as pessoas, o aspecto de nós que pregamos a sua palavra também deve ser santo, sincero e digno. Enquanto pregamos o evangelho, encontramos vários tipos de pessoas e, às vezes, algumas não aceitam a palavra de Deus e a rejeitam. Mesmo que elas não recebam a verdade de imediato, se expressarmos um sentimento de incômodo ou umas palavras e ações de maneira precipitada, como poderemos dizer que estamos trabalhando da parte de Deus?

Pensemos primeiro em como Deus faria se ele mesmo pregasse o evangelho. Esta boa nova que Deus pediu a nós para pregar, é inestimável. Nós precisamos pregar este precioso e valioso evangelho de forma preciosa e valiosa.

O apóstolo Paulo levou uma vida de pregação


O apóstolo Paulo levou uma vida de fé que todos os que creem em Deus o admiram. Depois de receber Cristo no caminho a Damasco, dedicou toda a sua vida com todo o coração à pregação, igual a Jesus.

Cl. 4:2-3 『Perseverai na oração, vigiando com ações de graças. Suplicai, ao mesmo tempo, também por nós, para que Deus nos abra porta à palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual também estou algemado;』

O apóstolo Paulo persuadiu os membros da igreja primitiva a orar sempre para que Deus abrisse a porta da pregação, mais do que qualquer outra coisa, a fim de que pudessem anunciar com intrepidez o mistério de Cristo. Na sua oração, ele nunca parava de pedir para que abrisse a porta da pregação. Foi porque compreendeu no profundo de seu coração que a pregação é a maior obra que Deus, o mais grandioso, nos confiou.

2Tm. 4:1-5 『Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, [...] Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o teu ministério.』

Em sua carta a Timóteo, também, o apóstolo Paulo o exortou a pregar a palavra de Deus e instar em anunciá-la, quer seja oportuno, quer não. Ele enfatizou que cumprisse o seu ministério fazendo o trabalho de um evangelista em todo momento, não só quando teve a oportunidade.

O próprio Paulo também pôs todo o seu coração e toda a sua alma na pregação da palavra de Deus. Até esteve pronto para morrer pelo evangelho de Deus (At. 21:13). Cinco vezes recebeu uma quarentena de açoites menos um; foi três vezes fustigado com varas; uma vez, apedrejado; três vezes, em naufrágio; e uma noite e um dia passou na voragem do mar. Ele não poupou todo o tipo de esforços (2Co. 11:23-27). Ainda que tivesse enfrentado muitas adversidades, ele nunca temeu, nem cedeu diante de nenhuma dificuldade.

A coroa da justiça preparada para nós


A vida dos grandes personagens da Bíblia, desde Jesus que veio para nos salvar até Pedro e João, além de Paulo, aos quais nós devemos imitar, era uma série de feitos da pregação. Os pregadores do evangelho não puderam manter-se em silêncio nem um instante, pois compreenderam que a pregação é a obra mais grandiosa entre milhares de obras que podem ser realizadas nesta terra.

2Tm. 4:6-8 『Quanto a mim, estou sendo já oferecido por libação, e o tempo da minha partida é chegado. Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.』

Quando Paulo percebeu que o tempo de partir do mundo era chegado, refletiu sobre a sua vida e ficou seguro de ter levado uma vida valiosa. Ele disse em uma voz cheia de convicção que a coroa da justiça lhe estava guardada, pois havia corrido zelosamente somente olhando o alvo, o céu, para cumprir a missão mais grandiosa de pregar às pessoas a santa vontade de Deus. Assim, ele recordou sua vida dizendo que viveu somente tendo esperança do reino dos céus sem deixar remorso.

Existe um grande número de profissões no mundo, mas todas elas são necessárias apenas nesta pequena Terra. Contudo, a missão da pregação que Deus nos confiou é diferente. Igual aos apóstolos, nós também devemos nos preparar previamente para o mundo eterno aonde iremos, ao invés de considerar que este mundo visível é tudo.

A razão pela qual Deus nos mandou pregar o evangelho é para nos dar bênçãos eternas e não transitórias. Deus deseja que seus filhos recebam as eternas bênçãos do reino dos céus. O ministério da pregação é um trabalho muito pequeno em comparação com as recompensas que receberemos no céu. Já que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós, os apóstolos que entenderam isto, se esforçaram para a pregação acima de tudo (Rm. 8:18).

Nesta época, temos recebido a missão de pregar a palavra de Deus a todos os sete bilhões de pessoas. Não devemos ficar olhando de braços cruzados, e sim participar juntos da obra mais grandiosa que Deus nos confiou, de modo que possamos ser filhos que recebem a coroa de justiça.

A pregação é uma grande missão dada às pessoas mais grandiosas. Como o apóstolo Paulo, tenhamos fé que pode dizer: “Já agora a coroa da justiça me está guardada”, com confiança, ao final de nossa vida na terra. Peço ansiosamente a todos os membros da família de Sião que preguem as lindas notícias de vida de Deus aonde quer que estejam: os trabalhadores no emprego, os universitários na universidade, os soldados no exército e as donas de casa na vizinhança.