한국어 English 日本語 中文 Deutsch Español हिन्दी Tiếng Việt Русский LoginCadastre-se

Login

Bem-vindo(a)!

Obrigado por visitar a página web da Igreja de Deus Sociedade Missionária Mundial.

Você pode fazer login para acessar a área exclusiva para os membros da página web.
Login
Usuário
Senha

Esqueceu-se da Senha? / Cadastre-se

É proibido copiar e distribuir os sermões em texto. Por favor, guarde o que compreendeu através dos sermões no seu coração e espalhe-o pela fragrância de Sião.

A razão de Deus ter vindo em carne


Hoje em dia, nas pinturas sagradas que descrevem a imagem de Cristo, vemos a sua figura humana retratada divinamente como a gloriosa imagem que as pessoas imaginam. Mas, há dois mil anos, o que as pessoas pensavam a respeito de Jesus e a igreja que ele havia estabelecido, e as boas-novas do reino celestial que Jesus pregava? Sem pensar nestes assuntos, não podemos dizer que conhecemos Cristo.

Cristo é Deus mesmo em sua natureza, e antes de ter nascido como bebê, ele era o Deus Pai Todo-Poderoso (Ref. Fp. 2:5, Is. 9:6). Mas, quando Jesus disse: “Eu e o Pai somos um”, os judeus tentaram apedrejá-lo para matar. Segundo a lei de Moisés, o pecado de blasfêmia deve ser condenado à pena capital. Quando Jesus disse essa palavra, eles pensaram que Jesus havia blasfemado contra Deus.

O Deus do céu veio a esta terra e se apresentou a si mesmo como Deus. As pessoas que serviam a esse Deus, porém, tentaram matá-lo. Quando Deus veio em carne, os que diziam crer em Deus, crucificaram o Deus que eles adoravam.

Este acontecimento foi a ironia daquela época. Quando olhamos a fundo este terrível acontecimento, podemos saber que os líderes religiosos daquele tempo não conheciam bem a Deus. De fato, eles tinham um deus de sua própria imaginação. Não possuíam conhecimento espiritual a respeito de Deus, por isso não sabiam que Ele podia aparecer em qualquer forma, inclusive em corpo humano físico semelhante ao deles.

Então, por que Deus veio em carne? Mediante um pequeno conto, vamos compreender a vontade de Deus, a razão pela qual Deus veio em carne.


Deus veio em carne com a mensagem de amor e salvação


Enquanto um viajante andava por um tranquilo caminho rural, viu uns pássaros comendo grãos. Os pássaros lhe pareceram muito bonitos e, de repente, ele sentiu uma vontade de acariciar suas cabecinhas.

Mas, logo que ele se aproximou dos pássaros, estes voaram e pousaram a vários metros de distância dele. Sem saber a intenção do viajante, os pássaros temeram que ele pudesse feri-los. Embora ele tentando várias vezes aproximar-se deles, tudo foi inútil porque os pássaros, cada vez que ele tentava, voavam cada vez mais longe. Então, o viajante chegou à conclusão de que não há outra forma de transmitir seu amor, sem se converter em um pássaro.

Pela mesma razão, Cristo veio em carne. Cada vez que os homens viam a Deus, eles sempre tinham medo por seu pecado e aí fugiam da sua presença. Por isso, para salvar a humanidade pelo seu amor, Deus tinha que aparecer em carne como um homem, e assim anunciou sua especial mensagem de amor e salvação.

Êx. 20:18-21『Todo o povo presenciou os trovões, e os relâmpagos, e o clangor da trombeta, e o monte fumegante; e o povo, observando, se estremeceu e ficou de longe. Disseram a Moisés: … porém não fale Deus conosco, para que não morramos.』

Quando os antigos israelitas, no meio de uma atmosfera espantosa do monte Sinai, ouviram diretamente a voz de Deus, eles temeram e pediram a Moisés que intercedesse entre Deus e eles. Como os pássaros que, temendo a morte, voavam longe quando o viajante se aproximava para acariciar suas cabecinhas, assim também o povo tinha medo de morrer quando Deus proclamava a sua palavra.

Os homens se atemorizavam quando ouviam diretamente a voz de Deus. Por esta razão, nosso Deus veio em forma humana como nós. Deus é Espírito, mas os homens são carne. Para os homens é temeroso e difícil ouvir a palavra de Deus. É por isso que Deus decidiu vir a esta terra em semelhança humana como nós.

Jo. 1:1-14 『No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus … E o Verbo (Deus) se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito (Jesus Cristo) do Pai.』

A essência de Jesus Cristo, que veio em carne, era Deus em sua natureza, o Criador de todas as coisas. Deus veio como homem para que os homens pudessem aproximar-se dele. Enquanto Deus mostrava seu poder e divindade, as pessoas temiam a Deus. Mas, quando Ele veio em carne, o tratavam ordinariamente e o desprezavam. Sendo assim, os principais sacerdotes e escribas, chamados de líderes religiosos, não reconheceram a divindade de Jesus e o viram como um simples homem.

At. 24:1-5 『Cinco dias depois, desceu o sumo sacerdote, Ananias, com alguns anciãos e com certo orador, chamado Tértulo, os quais apresentaram ao governador libelo contra Paulo. Sendo este chamado, passou Tértulo a acusá-lo, dizendo: … Porque, tendo nós verificado que este homem é uma peste e promove sedições entre os judeus esparsos por todo o mundo, sendo também o principal agitador da seita dos nazarenos,』

Através deste testemunho, podemos saber que naquele tempo os líderes religiosos chamavam Jesus de “seita dos nazarenos”. A Bíblia nos mostra claramente que eles acusaram de herege a Deus, que pregou aos homens as boas-novas do reino dos céus por amor a eles.

Jo. 10:27-33 『Eu e o Pai somos um. Novamente, pegaram os judeus em pedras para lhe atirar. Disse-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas da parte do Pai; por qual delas me apedrejais? Responderam-lhe os judeus: Não é por boa obra que te apedrejamos, e sim por causa da blasfêmia, pois, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.』

Os judeus tentaram apedrejar Deus, por sua blasfêmia, dizendo: “Sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo”. Assim, eles rejeitaram Deus e não puderam aceitar a sua palavra, por mais preciosa que fosse a palavra de Jesus.

João, o escritor do Evangelho, reconheceu Jesus como Deus mesmo que havia vindo em carne. Porém, aos olhos dos líderes religiosos, Cristo parecia um simples homem, um criminoso muito mais perigoso que um ladrão e assassino. Por isso, eles pediram com gritos que liberassem o ladrão Barrabás e que crucificassem Jesus.

Além disso, podemos ver outros casos em que Cristo foi perseguido por falta de conhecimento a respeito dele. E também sua família e seus parentes, de quem se esperava, que o conhecessem e o entendessem melhor que qualquer outra pessoa, tentaram prendê-lo.

Mc. 3:20-21 『E, quando os parentes de Jesus ouviram isto, saíram para o prender; porque diziam: Está fora de si.』

Com que propósito você pensa que estas cenas estão registradas na Bíblia? Para conhecer corretamente a Deus, precisamos entender não somente a divindade de Jesus, mas também sua imagem humana, enquanto ele estava fisicamente nesta terra.


Tenham olhos espirituais para compreender a divindade de Cristo


Deus amou tanto os seres humanos que veio em carne a este mundo, mas eles não o conheceram nem o receberam, somente pelo fato de ter vindo em carne. Os líderes religiosos, que afirmavam ter um pleno conhecimento a respeito de Deus, não valorizavam o evangelho e o chamaram de “seita dos nazarenos”. Eles rejeitaram e crucificaram seu próprio Deus. Eles lhe cuspiram no rosto, e lhe deram murros e o esbofetearam dizendo: “Profetiza-nos, ó Cristo, quem é que te bateu!” (Mt. 26:67-68).

Até os gentios não profanam desta maneira os deuses em que creem. Entretanto, os que diziam crer em Deus, o trataram com desprezo e a sua família também tentava prendê-lo, dizendo: “Está fora de si”. Os líderes religiosos como principais sacerdotes e escribas que são mestres da lei condenaram seus ensinamentos como heresias, rejeitaram Deus, que dava testemunho de si mesmo, dizendo: “Sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo”.

Eles não tinham olhos espirituais para distinguir o bem do mal, a verdade da falsidade. Eles julgaram Cristo somente segundo a carne, nem quiseram abrir seus ouvidos espirituais para ouvir seus ensinamentos cheios de graça. Também, de fato, Cristo ressuscitou dos mortos, mas eles subornaram os soldados para que não fossem testemunhas da ressurreição dele. Eles não creram nele apesar de terem visto uma prova tão evidente. Eles pensavam que acreditavam absolutamente em Deus, mas nenhum deles o recebeu quando ele veio a esta terra.

Essa era a realidade da religião que dizia que adorava a Deus. A situação atual é exatamente igual à situação dos dias de Jesus. Através da história da primeira vinda de Jesus, é preciso examinar a história da sua segunda vinda que acontecerá nesta última época. A história da igreja primitiva se repete na sua segunda vinda: as pessoas não recebem Cristo pelo fato de ter vindo em carne, apesar das provas inquestionáveis que ele trouxe.

1Tm. 2:4-5 『Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem,』

Para todos os que se perguntam uma e outra vez sobre como Deus pode ser um homem, a Bíblia dá uma resposta definitiva mediante a palavra “Cristo Jesus, homem”. A Bíblia diz: Quem não recebe Jesus Cristo que veio em carne tem o espírito do anticristo (1Jo. 4:1-3). Isto revela que os que são ensinados pelo espírito do anticristo negam Jesus que veio como um ser humano.

As doutrinas atuais do cristianismo são, na realidade, absolutamente diferentes dos ensinamentos da Bíblia. As doutrinas e idéias fixas dos líderes religiosos daqueles dias conduziram à cruz Deus em quem acreditavam. Agora também acontece algo semelhante.

Os apóstolos que reconheceram Cristo, tristes porque as pessoas não entendiam que Cristo havia vindo em carne, ensinavam: Todos os que não admitem que Jesus Cristo, vindo em carne, é Deus, têm o espírito do anticristo”, colocando ênfase nas palavras “Cristo Jesus, homem”.

Quando Deus ensinou de forma majestosa e espiritual no monte Sinai, o povo fugiu apavorado. Mas, quando Deus se fez carne e se aproximou dos homens, eles o rejeitaram e desprezaram seus ensinamentos, chamando-o de “seita dos nazarenos”. Eles compareceram ao governador para caluniar os apóstolos que pregavam a verdade e os apóstolos foram acusados por dizer a verdade.

Ao ver como foi rejeitada a verdade, chegamos a compreender que para as pessoas comuns é muito difícil perceber a verdade. Então, quem pode reconhecer e perceber Cristo que veio em carne? Alguns o receberam e aceitaram seus ensinamentos, e outros o perseguiram e rejeitaram sua doutrina, considerando-a como heresia. Dependendo de receber ou não Deus que veio em carne, pode surgir um resultado diferente de alcançar a bênção celestial ou não. De fato, os que o recebem são bem-aventurados.

Hb. 2:13-15 『Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida.』

Os pássaros voaram longe quando o viajante se aproximou deles, o que o levou a desejar ser um pássaro para poder aproximar-se deles. Da mesma maneira, como os homens ficaram atemorizados quando Deus se aproximou deles, ele decidiu vir a esta terra tendo a mesma carne e o mesmo sangue de homem. Ele não se preocupou se o mundo acreditaria nele ou não, se as pessoas qualificariam seus ensinamentos de heresia ou não, porque veio a esta terra só com o propósito de salvar as almas que possuíam uma fé verdadeira.

O lugar que Cristo visitou pela primeira vez não foi o magnífico templo construído em 46 anos. Ele visitou o mar da Galileia onde Pedro pescava para se sustentar. Ele disse: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens”. Ao ouvir estas palavras, Pedro deixou sua rede e seguiu Jesus.

Mt. 4:18-20 『Caminhando junto ao mar da Galileia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, que lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. Então, eles deixaram imediatamente as redes e o seguiram.』

Por que Jesus não foi ao templo onde havia muitas pessoas que esperavam por Cristo? Pelo contrário, ele foi a uma pequena aldeia junto ao mar, e sim chamou Pedro e André, dizendo que o seguissem. Então, eles o seguiram, deixando no mesmo instante as redes. Quando Jesus caminhou um pouco mais, viu Tiago e João, e os chamou; eles também o seguiram imediatamente.

Havia uma grande diferença entre aqueles pescadores e os principais sacerdotes. Estes, mesmo que adorassem a Deus num templo majestoso com muitíssimas pessoas, não eram agradáveis aos olhos de Deus, porque não eram os que receberiam sua palavra. Quando Jesus lhes pregou o evangelho, o rejeitaram e o chamaram de heresia. Pelo contrário, quando Jesus pregou a Pedro, este o recebeu com alegria e começou a segui-lo por onde quer que fosse.

Jesus já conhecia o estado espiritual deles. Não existem os escritos em que Jesus disse a Pedro: “Arrepende-te”. No entanto, aos principais sacerdotes e mestres da lei, Jesus levantou sua voz, dizendo repetidas vezes: “Arrependei-vos”. Eles eram os que invocavam a Deus somente com seus lábios, por isso seu coração estava longe do reino dos céus. Para eles não foi possível entrar no reino dos céus, sem que se arrependessem.


Os que seguem Deus com o conhecimento da divindade de Deus


Deus veio a esta terra para resgatar seus filhos que estão nas cadeias do diabo por terem participado de carne e sangue, e deu a Páscoa da Nova Aliança para os libertar do poder do diabo. Entretanto, as igrejas atuais blasfemam dizendo que “a Páscoa é uma heresia”. Mas, estas são as palavras que terminam caluniando Jesus, porque ele mesmo destruiu a morte através da verdade da Páscoa. Não somente na época da igreja primitiva, e sim também nesta época em que vivemos, os líderes religiosos chamam de hereges os ensinamentos que Jesus Cristo nos deu para guardá-los.

A Páscoa da Nova Aliança é o evangelho que Jesus mesmo pregou, e que os apóstolos Paulo e Pedro também anunciaram. Se os líderes religiosos a chamam de heresia, serão como o sumo sacerdote Ananias e o orador Tértulo, os quais levantaram acusações de heresia contra o apóstolo Paulo.

Se Jesus vier novamente em carne, o que o mundo dirá dele? Quase todas as pessoas do mundo o rejeitarão, chamando-o de herege, porque não conhecem a Deus. As pessoas afirmam ter aceitado a verdade da Trindade, mas na realidade não sabem que existem os nomes do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Por isso, blasfemam contra Deus por sua ignorância; a respeito disso, Jesus disse: “Odiaram-me sem motivo” (Jo. 15:25). A Bíblia profetiza claramente que Cristo virá a esta terra pela segunda vez.

Hb. 9:27-28 『assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.』

Se Deus vier pela segunda vez, precisamos preparar-nos para recebê-lo. Não devemos cometer o mesmo erro daqueles que o rejeitaram em sua primeira vinda. Naquele tempo, eles blasfemaram contra Deus, dizendo: “De Nazaré pode sair alguma coisa boa?”, “De onde esse tem esta sabedoria sem ter estudado?” Assim, eles blasfemaram contra Deus, afirmando firmemente como se Jesus não fosse Deus por não ter nascido em uma família nobre nem por ter tido alta escolaridade. Essas pessoas não escutaram Jesus, embora ele tivesse dito muitas palavras a elas. Porém, os discípulos o seguiram logo que ouviram apenas uma palavra: “Eu vos farei pescadores de homens”. Que tipo de pessoas devemos ser?

Por estar profetizado que Cristo apareceria pela segunda vez nestes dias, temos que preparar lâmpada e azeite de modo a receber completamente Cristo. Menosprezando o ensinamento de Cristo e rotulando-o de heresia, paradoxalmente o mundo utiliza os nomes de Jesus, de Paulo e de Pedro. As pessoas dizem crer em Jesus, mas chamam de heresias os seus ensinamentos. Se fosse assim, o que Jesus Cristo, que deu estes ensinamentos, seria?

Agora, precisamos pensar na razão por que as pessoas rejeitaram Cristo em sua primeira vinda. Sem conhecer as circunstâncias daqueles dias, não podemos entender a razão por que esta época está indo contra a verdade, e talvez possamos cair no mesmo erro que aconteceu na primeira vinda de Jesus, rejeitando Cristo que vem pela sua segunda vez nesta época.

2Co. 5:16 『Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo.』

Os apóstolos não repararam na aparência de Cristo, por isso, eles puderam ver o verdadeiro caráter escondido na sua aparência externa e reconheceram a divindade de Cristo. No entanto, a maioria das pessoas daquele tempo olhava a Cristo de um ponto de vista carnal. Então, como nós também podemos ver a divindade de Cristo do mesmo modo que os apóstolos?

Observar organismos pequenos e objetos longínquos só é possível utilizando um microscópio e um telescópio. Igualmente, podemos ver a divindade de Cristo somente através do “olho da profecia”, o qual é a Bíblia. Só através das palavras da Bíblia, a qual foi escrita por homens inspirados pelo Espírito Santo, podemos reconhecer a divindade de Cristo, Deus que veio em carne.

Todas as coisas com respeito a Cristo estavam escritas na Bíblia, mesmo assim, os principais sacerdotes, fariseus e escribas, que são mestres da lei, não o reconheceram porque não acreditavam completamente na Bíblia. Entretanto, os discípulos receberam Cristo apesar de não terem aprendido muito. Como diz a profecia: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus”, o evangelho de Cristo foi transmitido a tais pessoas, que aceitaram seus ensinamentos como a palavra de Deus.

Cl. 1:13-18 『… nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados. Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as coisas … Tudo foi criado por meio dele e para ele.』

O apóstolo Paulo testificou corajosamente que aquele que o mundo rejeitava era Deus Criador. O motivo de Deus ter escondido a sua divindade, foi para salvar os seres humanos, porque eles sempre o temeram e fugiram dele. Mas, os homens rejeitaram Deus que veio cobrindo sua divindade com o véu da carne. Ainda mais, zombaram dele e o desdenharam, acusando-o de herege por causa de seus ensinamentos.

Da mesma maneira, as igrejas de hoje consideram que a Páscoa da Nova Aliança é uma heresia. Isto não é estranho, porque na época da igreja primitiva o apóstolo Paulo foi acusado de pregar a Nova Aliança. Os homens agora exaltam Paulo, colocando-o em uma posição elevada, chamando-o inclusive de São Paulo; naqueles dias, contudo, Paulo foi chamado de “principal agitador da seita dos nazarenos”.

O mesmo acontece nesta época. Cristo amou tanto a humanidade que veio a esta terra pela segunda vez para recuperar as boas-novas da salvação. Quase ninguém o recebe como antes na sua primeira vinda. Porém, como os antepassados e mártires da fé, devemos caminhar com diligência no caminho correto, apesar das dificuldades que sofremos por causa dos ensinamentos de Cristo. Através da vida que segue as palavras da Bíblia, como os ensinamentos de Deus, devemos ser os que receberão o amor e as bênçãos de Deus em abundância.

Como Jesus disse: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim” (Jo. 15:18), enquanto recebemos o amor de Cristo, é claro que podemos ser odiados neste mundo pelas pessoas. Mas, enquanto seguimos pelo caminho de Cristo, as tribulações que sofremos serão recompensadas pelas grandes bênçãos de Deus que receberemos. Levando esta recompensa em conta, vamos reconhecer corretamente Cristo que veio nesta última época, e crer nele ao passo que damos os verdadeiros testemunhos sobre ele, para que edifiquemos nossa fé sobre Cristo, a rocha sólida.

Seguindo verdadeiramente pelo caminho que Cristo percorreu, todos nós devemos ser os que são dignos de entrar no eterno reino dos céus.