한국어 English 日本語 中文 Deutsch Español हिन्दी Tiếng Việt Русский LoginCadastre-se

Login

Bem-vindo(a)!

Obrigado por visitar a página web da Igreja de Deus Sociedade Missionária Mundial.

Você pode fazer login para acessar a área exclusiva para os membros da página web.
Login
Usuário
Senha

Esqueceu-se da Senha? / Cadastre-se

É proibido copiar e distribuir os sermões em texto. Por favor, guarde o que compreendeu através dos sermões no seu coração e espalhe-o pela fragrância de Sião.

Palavra graciosa, palavra comovente

Como diz um provérbio: “Diga aos outros o que quer ouvir”, certamente precisamos usar palavras corretas e gentis se não quisermos ouvir dos outros palavras duras, e também para nos dar bem com os que estão à nossa volta em nossa vida diária.

Alguns dizem que quando Deus criou o homem com uma boca e com dois ouvidos, quis dar a entender que devemos ouvir duas vezes mais do que falar. Em muitas partes da Bíblia, Deus também nos ensina a maneira de falar.

Agora devemos tirar de nós o velho homem que persegue os desejos terrenos, e que persiste em seus próprios pensamentos. Ainda mais, por meio dos ensinamentos do Pai e da Mãe celestiais, devemos nos tornar filhos lindos que eles esperam. Com toda oração e súplica, orando em todo o tempo, quando nos parecermos com Deus, que é generoso, misericordioso e gentil, tornaremos a guiar com sabedoria muitas pessoas que estão ao nosso redor à salvação.


Deixem toda a malícia e falem palavras que edifiquem


Os que vivem segundo a carne estão aptos para provocar discórdias e intrigas com suas palavras. A Bíblia enfatiza repetidamente que devemos falar somente palavras que sejam boas para edificação dos outros, isso porque se deixarmos nossa língua sem rédea, cometeremos maldades.

Ef. 4:26-32 『Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo. Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação, conforme a necessidade, e, assim, transmita graça aos que ouvem. E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.』

Enquanto vivemos, às vezes nos iramos. No entanto, se controlarmos essa ira e a apagarmos o mais cedo possível, poderemos dizer palavras que edifiquem, e não deixaremos sair da nossa boca palavras que prejudiquem. Se temos malícia, não podemos dizer o que dá graça aos que nos ouvem.

Se quisermos dizer palavras boas e virtuosas para a edificação e que demonstrem graça aos ouvintes, precisamos estar cheios da mente de Deus, que é amável, compassivo e perdoador. Os filhos de Deus devem tirar de si toda malícia e ter a mente de Cristo que é bom e misericordioso. Esta é a vontade de Deus para conosco, os filhos de Deus. Os santos, que têm recebido as boas novas e sido ensinados por Deus, devem ser diferentes das pessoas do mundo.

Agora estamos sendo transformados em novas criaturas, esforçando-nos para praticar os ensinamentos do Pai e da Mãe celestiais, por isso devemos seguir com todo o nosso coração a vontade de Deus. Deus deseja seriamente que seus filhos não digam palavras prejudiciais, e sim, somente o que é bom segundo a necessidade para a edificação dos outros, de modo que não voltemos a pecar.

Cl. 4:2-6 『... Suplicai, ao mesmo tempo, também por nós, para que Deus nos abra porta à palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual também estou algemado; para que eu o manifeste, como devo fazer. Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.』

Assim como temperamos um prato com uma quantidade apropriada de sal para que fique delicioso, as nossas palavras também devem estar cheias de graças e sabedoria, de maneira que mantenhamos boas relações com os que estão ao nosso redor.

Nos dias festivos, quando todos os membros da família se reúnem, frequentemente vemos que ocorrem discussões entre eles devido às conversas com palavras más que destroem o ambiente festivo. A maioria das pessoas que não têm esperança no céu, fala sobre coisas mundanas. Durante a conversa, se alguém fala palavras para vangloriar-se ou para comparar-se aos outros, os outros se sentirão maus, e ocorrerão problemas entre a família. Ao contrário, quando os membros de Sião vão à sua terra natal nos dias festivos, muitos deles comovem a sua família com palavras boas e humildes, e a guiam a Deus. Quando seguimos os ensinamentos de Deus com fé, Deus pode salvar os nossos familiares e parentes.


Os que colhem do Espírito vida eterna


Gl. 6:6-10 『Mas aquele que está sendo instruído na palavra faça participante de todas as coisas boas aquele que o instrui. Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.』

Uma vez que está escrito: “Tudo o que o homem semear, isso também colherá”, se semearmos palavras más, colheremos maus frutos. Se semearmos boas palavras, colheremos bons frutos. O mesmo acontece quando nos encontramos com familiares, parentes e vizinhos. Se semearmos para a nossa própria carne, da carne colheremos corrupção, mas se semearmos o Espírito no campo da mente deles com sérias orações e súplicas para a sua salvação, do Espírito colheremos o fruto da vida e da alegria eterna.

Levando em conta as palavras: “Tudo o que o homem semear, isso também colherá”, devemos falar palavras boas e lindas. Cada vez que nos encontrarmos com nossos familiares e vizinhos, principalmente devemos falar-lhes a palavra da vida de Deus. Alguns não recebem as palavras imediatamente, mas se não desistirmos e continuarmos dizendo-lhes as boas novas, a semente lançará raízes e crescerá, e teremos a oportunidade de colher.

Jo. 12:48-50 『Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a própria palavra que tenho proferido, essa o julgará no último dia. Porque eu não tenho falado por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, esse me tem prescrito o que dizer e o que anunciar. E sei que o seu mandamento é a vida eterna. As coisas, pois, que eu falo, como o Pai mo tem dito, assim falo.』

Vamos pregar fortemente o que Deus nos tem dito. Deus nos tem mandado que advirtamos o mundo com a sua palavra. Assim foi nos permitido um tempo de oportunidade para receber de Deus bênçãos ao cumprirmos a ordem de Deus: “Salvem as almas com as palavras boas e temperadas, assim como sal purifica o mar”. Nós, acreditando que este mandamento de Deus nos conduz à vida eterna, devemos esforçar-nos muito para guiar muitas almas ao arrependimento, para que possamos oferecer o fruto de gratidão e de gozo a Deus.


Os que colhem da carne corrupção


Quando pregamos as palavras de Deus, às vezes ouvimos as pessoas falarem palavras más e insolentes contra nós. Apesar disso, não devemos responder-lhes com palavras duras. Pelo contrário, devemos ter uma mente ampla para entender essas pessoas e passar por esta situação.

Nós, dando um passo adiante, devemos falar as boas novas da salvação e da vida eterna com palavras comoventes e cheias de graça. Quando eles falam palavras más contra nós, se nós lhes respondermos com o mesmo mal, não estaremos agradando a Deus. Os que semeiam obras ímpias e palavras impetuosas receberão o eterno castigo de Deus.

Jd. 1:14-16 『... Eis que veio o Senhor ... para exercer juízo contra todos e para fazer convictos todos os ímpios, acerca de todas as obras ímpias que impiamente praticaram e acerca de todas as palavras insolentes que ímpios pecadores proferiram contra ele. Os tais são murmuradores, são descontentes, andando segundo as suas paixões. A sua boca vive propalando grandes arrogâncias; são aduladores dos outros, por motivos interesseiros.』

1Tm. 5:13-15 『Além do mais, aprendem também a viver ociosas, andando de casa em casa; e não somente ociosas, mas ainda tagarelas e intrigantes, falando o que não devem … Pois, com efeito, já algumas se desviaram, seguindo a Satanás.』

Na época da igreja primitiva também havia alguns que aprenderam a viver ociosos e fofoqueiros, intrometidos, falando o que não deviam. Como a Bíblia diz que estas pessoas se inclinaram em direção a Satanás, então nós devemos falar com prudência. A Bíblia ensina que cada homem será julgado diante de Deus pela sua palavra insolente e desnecessária que ele mesmo disse (Mt. 12:36-37).

Como temos estudado, se uma pessoa se ira, da sua boca saem palavras nocivas, sem graça e nada dignas diante dos olhos de Deus. Isso porque o que está cheio no coração sai pela boca (Mt. 12:34). Também na história dos israelitas, os que diziam palavras queixosas foram todos destruídos no deserto.

Antes de dizer algo, vamos pensar mais de três vezes se o que iremos dizer é “o que podemos dizer”, ou “o que não devemos dizer”. Os nossos antepassados, que viveram antes de nós, disseram que isto é a sabedoria da vida. Seria melhor que não disséssemos “o que não devemos dizer”. Há uma advertência de que os que falam o que não devem dizer, no final perderão a verdade de Deus.

1Tm. 6:3-5 『Se alguém ensina outra doutrina e não concorda com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo e com o ensino segundo a piedade, é enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim, por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro.』

Os ensinamentos anteriores sobre o modo de falar são uma parte dos ensinamentos piedosos que Cristo nos deu. Se ignorarmos os ensinamentos sobre as palavras certas e cheias de graça e não nos esforçarmos para praticá-las, no final a verdade será privada de nós e entraremos na eterna destruição.


Tudo o que o homem semear, isso também colherá


Nós, o povo de Sião, ainda não somos perfeitos e erramos muitas vezes. Assim às vezes acontece que magoamos os nossos irmãos e irmãs com as nossas palavras. Devemos apegar-nos aos ensinamentos de Deus muito mais, e evitar que ocorra este tipo de ofensa.

Tg. 3:2-6 『Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça no falar, é perfeito varão, capaz de refrear também todo o corpo. Ora, se pomos freio na boca dos cavalos, para nos obedecerem, também lhes dirigimos o corpo inteiro. Observai, igualmente, os navios que, sendo tão grandes e batidos de rijos ventos, por um pequeníssimo leme são dirigidos para onde queira o impulso do timoneiro. Assim, também a língua, pequeno órgão, se gaba de grandes coisas. Vede como uma fagulha põe em brasas tão grande selva! Ora, a língua é fogo; é mundo de iniquidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno.』

Como um pequeno fogo acende uma casa inteira ou um enorme bosque, uma pequena palavra pode provocar uma infeliz consequência entre as pessoas ao nosso redor. É por isso que Deus nos adverte que a língua é como um fogo.

Já que está escrito: “Tudo o que o homem semear, isso também colherá”, se semearmos uma palavra má, terminaremos com resultados maus e sem graça, mas se semearmos a palavra de Deus, o reino dos céus e o amor que Deus nos ensinou, colheremos a eterna salvação e o fruto da vida abundantemente.

Vamos pregar firmemente as boas novas da salvação com amor e emoção comovente. Se fizermos isto e guiarmos os nossos amados, pais, irmãos, parentes e vizinhos ao caminho da salvação, o mundo de Deus será estabelecido em todos os lugares, então o reino virá rapidamente.

Devemos ser o sal e a luz do mundo, praticando as boas obras que Deus nos tem ensinado. Vamos mostrar a glória de Deus através da nossa formosa mudança segundo os ensinamentos do Pai e da Mãe, para que todas as pessoas ao nosso redor sejam comovidas pelo Espírito Santo.

Vamos esforçar-nos para nunca permitir que saiam da nossa boca palavras nocivas, e sim palavras boas e formosas que dão graça aos que ouvem.

Devemos manter esta determinação na nossa vida diária. Mesmo não conseguindo limpar completamente toda a sujeira dos nossos pecados, suplico-lhes que levem uma vida como filhos de Deus cheios de graça, por meio de palavras lindas e boas obras.