한국어 English 日本語 中文 Deutsch Español हिन्दी Tiếng Việt Русский LoginCadastre-se

Login

Bem-vindo(a)!

Obrigado por visitar a página web da Igreja de Deus Sociedade Missionária Mundial.

Você pode fazer login para acessar a área exclusiva para os membros da página web.
Login
Usuário
Senha

Esqueceu-se da Senha? / Cadastre-se

É proibido copiar e distribuir os sermões em texto. Por favor, guarde o que compreendeu através dos sermões no seu coração e espalhe-o pela fragrância de Sião.

Uma fé profunda


Enquanto vivemos no mundo, ter um grande mestre é realmente uma grande bênção. Neste ponto de vista, somos os mais abençoados, porque temos encontrado a Deus Elohim como nosso Mestre, quem nos está guiando ao eterno reino dos céus.

Deus, o nosso verdadeiro Mestre, veio a esta terra e percorreu o caminho de sofrimentos só para a nossa salvação. Quando ele foi oprimido e afligido, não abriu a sua boca. Ele suportou em silêncio o escárnio, o desprezo e os insultos dos homens. Com o preço da paciência e do sacrifício de Deus, nossas almas têm sido curadas e salvas. Dando sinceras graças a Deus por sua graça, vamos refletir por um tempo e pensar em que tipo de fé devemos ter ao seguir o caminho de Cristo.

Um poço profundo


Quando descrevemos uma pessoa que tem uma mente ampla, dizemos que é um homem com “grande coração”. Tal pessoa é prudente e muito ponderada, raramente erra, e faz com que os outros se sintam animados. É por esta razão que as pessoas se reúnem ao seu redor.

Um dia, li um artigo intitulado “um poço profundo”. O artigo dizia que podemos saber quão profundo é um poço se lançarmos uma pedra dentro dele. Quando uma pedra cai dentro de um poço raso, chega rápido até o fundo e produz um ruído, mas quando uma pedra é lançada num poço profundo produz um som muito baixo porque cria uma vibração tão grande quanto à profundidade do poço.

Da mesma maneira, podemos entender a profundidade do coração de um homem pela sua forma de responder às palavras lançadas sobre ele. Se ele se desagrada facilmente pelas palavras desfavoráveis dos outros, mostra que seu coração não é muito profundo. Um homem com um coração profundo não reage imediatamente ao que alguém diz a ele, e sim o aceita silenciosamente. Ao redor de tal homem as pessoas se ajuntam, saciam sua sede e se refrescam.

Se quisermos ter uma fé profunda, precisamos fazer o nosso coração mais profundo. Se o nosso coração não for profundo, não poderá conter uma fé profunda.

A fé dos nossos antepassados que foram abençoados por Deus era como um poço profundo.

Hb. 11:6-19 『De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam. Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé. Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador』

Noé construiu uma arca durante muito tempo, seguindo a ordem de Deus. Apesar de toda a difamação e escárnio de todas as pessoas ao seu redor, fez tudo o que Deus lhe havia mandado e salvou a sua família do dilúvio. Abraão também obedeceu à palavra de Deus em qualquer situação. Mesmo quando Deus lhe mandou que oferecesse seu único filho Isaque em sacrifício, obedeceu à ordem pensando na vontade de Deus. Foi assim que ele veio a ser chamado de o pai da fé.

A fé deles não foi sacudida pelas palavras dos homens. Tiveram uma fé como um poço profundo, que não se agita em nenhuma situação ou circunstância, e assim puderam agradar a Deus e ser salvos juntos com suas famílias.

O fim dos que têm uma fé pouco profunda


Como os antepassados da fé, devemos ter uma fé profunda. Aqueles, cuja fé é pouco profunda e se abala por pequenas palavras dos outros, não podem cuidar de si mesmos e muito menos salvar os outros. Na época do Êxodo, uns 600 mil varões israelitas não puderam entrar na terra de Canaã, e sim foram todos destruídos no deserto. Este fato estava relacionado com a profundidade da fé deles.

1Co. 10:1-5 『Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar, tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo. Entretanto, Deus não se agradou da maioria deles, razão por que ficaram prostrados no deserto.』

Deus não se agradou com a maioria dos israelitas que estavam viajando rumo a Canaã. Se pensarmos nas palavras de Hebreus 11: “Sem fé é impossível agradar a Deus”, podemos concluir que os israelitas não agradaram a Deus porque não tinham uma fé profunda. Por isso, eles murmuravam contra Deus ao serem agitados devido às condições que enfrentavam, e eles foram finalmente destruídos.

1Co. 10:6-12 『Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se. E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil. Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes. Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador. Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado. Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.』

Os israelitas foram testemunhas das dez pragas no Egito e também do poder de Deus que dividiu o Mar Vermelho. Mesmo depois de tudo isto, eles não tiveram uma fé profunda e foram agitados facilmente por pequenos problemas. Mesmo presenciando muitos milagres e sinais de Deus, não suportaram a fome e a sede temporária, e murmuraram imediatamente, dizendo: “Por que nos trouxe a este deserto para sofrermos assim?”

Os que murmuraram contra Deus provaram a Deus e adoraram a ídolos, com isso, não entraram em Canaã. Pelo contrário, foram todos destruídos no deserto. Isto se aplica a nós também, que estamos caminhando no deserto espiritual através da graça de Deus que nos tem redimido deste mundo pecaminoso. Se formos sacudidos por alguma situação difícil, ou por alguma palavra desagradável dos outros, não seremos diferentes de tais israelitas.
Deus mede a profundidade da nossa fé através de várias situações e condições. Todos os irmãos e irmãs de Sião devem ter uma fé profunda. Quando começamos nossa vida de fé, embora nossa fé seja frágil tendo algo insuficiente em muitos aspectos, com o passar do tempo deve se tornar mais profunda.

Jerusalém, o poço da salvação que nunca secará


Tem sido concedido a nós um poço cuja profundidade é imensurável. Este é o poço da salvação onde a água da vida brota para todo o sempre.

Is. 12:1-6 『... Eis que Deus é a minha salvação; confiarei e não temerei, porque o SENHOR Deus é a minha força e o meu cântico; ele se tornou a minha salvação. Vós, com alegria, tirareis água das fontes da salvação. Direis naquele dia: Dai graças ao SENHOR, invocai o seu nome, tornai manifestos os seus feitos entre os povos, relembrai que é excelso o seu nome. Cantai louvores ao SENHOR, porque fez coisas grandiosas; saiba-se isto em toda a terra. Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel no meio de ti.』

Dia a dia tiramos água do poço da salvação que não secará jamais. Temos que lavar os nossos corações com a água da vida que é tirada desse poço.

Zc. 14:7-8 『Mas será um dia singular conhecido do SENHOR; não será nem dia nem noite, mas haverá luz à tarde. Naquele dia, também sucederá que correrão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e a outra metade, até ao mar ocidental; no verão e no inverno, sucederá isto.』

O poço da salvação de onde a água da vida sai sem parar, tanto para o mar oriental quanto para o mar ocidental nas quatro estações durante todo o ano, é a nossa Mãe celestial (Gl. 4:26). Para encontrar seus filhos celestiais perdidos, a nossa Mãe celestial padece sofrimentos extremos, mas não se abala ao enfrentar as tempestades da vida, e ainda suporta todas as coisas como um poço profundo. A Mãe é o poço da água da vida que nunca seca, mesmo que nós tiremos água constantemente.

Nesta época, a água da vida que sai sem cessar de Jerusalém sacia as almas dos que vêm de todas as partes do mundo para saciar sua sede, e os guia ao reino dos céus.

Zc. 47:1-12 『... eis que saíam águas de debaixo do limiar do templo, para o oriente; porque a face da casa dava para o oriente, e as águas vinham de baixo, do lado direito da casa, do lado sul do altar. Ele me levou pela porta do norte e me fez dar uma volta por fora, até à porta exterior, que olha para o oriente; e eis que corriam as águas ao lado direito. Saiu aquele homem para o oriente, tendo na mão um cordel de medir; mediu mil côvados e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos tornozelos. Mediu mais mil e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos joelhos; mediu mais mil e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos lombos. Mediu ainda outros mil, e era já um rio que eu não podia atravessar, porque as águas tinham crescido, águas que se deviam passar a nado, rio pelo qual não se podia passar … Estas águas saem para a região oriental, e descem à campina, e entram no mar Morto, cujas águas ficarão saudáveis. Toda criatura vivente que vive em enxames viverá por onde quer que passe este rio, e haverá muitíssimo peixe, e, aonde chegarem estas águas, tornarão saudáveis as do mar, e tudo viverá por onde quer que passe este rio … Junto ao rio, às ribanceiras, de um e de outro lado, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer; não fenecerá a sua folha, nem faltará o seu fruto; nos seus meses, produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário; o seu fruto servirá de alimento, e a sua folha, de remédio.』

A água da vida que sai de Jerusalém torna-se um rio profundo, o qual corre até ao mar e dá vida às águas mortas do mar. Segundo esta profecia, a água da vida, que está saindo para os cinco oceanos e os seis continentes, está despertando todas as nações. Nesta época, nós que somos abastecidos diariamente com água da vida, devemos fazer com que o nosso coração e a nossa mente sejam cada vez mais profundos. Como os filhos de Jerusalém, se nos parecermos ao coração do nosso Pai e da nossa Mãe celestiais como um poço profundo, então poderemos ter uma fé profunda, de modo que entreguemos a água tirada do poço da salvação às almas sedentas.

Não devemos ser as pessoas pouco profundas, que reagem imediatamente com ondas ao ser lançada uma pequena pedra no poço do nosso coração. Pelo contrário, devemos ser filhos de Deus Elohim, que têm um coração suficientemente profundo para revivificar todas as pessoas do mundo. Se somos filhos criados pelas lições da Mãe Jerusalém, devemos possuir um coração como um poço profundo como a Mãe, de modo que cumpramos a missão de saciar a sede de milhares de milhares de pessoas.

Participemos da natureza divina tendo uma fé profunda


O apóstolo Pedro enfatizou que os santos, que no futuro serão transformados e entrarão no mundo divino, devem mudar seu temperamento e tomar parte na natureza divina, enquanto estão nesta terra.

2Pe. 1:4-11 『pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo, por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor. Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo … Pois desta maneira é que vos será amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.』

Uma fé que contém a virtude, o conhecimento, o domínio próprio, a perseverança, a piedade, a fraternidade e o amor no coração, pode ser considerada uma fé profunda que não é abalada pelas tempestades da vida e pelas coisas mundanas. Enumerando as obras dos antepassados da fé como Noé e Abraão, que tiveram uma fé profunda como um poço profundo, Deus nos diz que tenhamos um coração suficientemente profundo para participar da natureza divina.

O nosso coração deve parecer-se ao coração da Mãe Jerusalém. Assim, poderemos edificar uma fé profunda e viver a vida nobre e piedosa que o Pai e a Mãe nos têm ensinado, de modo que possamos anunciar as virtudes de Deus através das nossas boas obras (Ref. 1Pe. 2:9-12).

Não devemos ser homens néscios que hoje se retiram da grande vontade que tinham ontem, enfurecidos por alguma coisa pequena. Nós, a família de Sião, temos que ser vasos suficientemente grandes para participar da natureza divina e para conter a água da salvação, de modo que possamos cumprir a missão de saciar a sede das pessoas do mundo.

Para isto, primeiro precisamos ter um coração profundo. Vamos mudar a nós mesmos primeiro, e não esperar que o nosso ambiente ou as outras pessoas mudem. Se eu mudar, o mundo mudará. Enfrentaremos momentos difíceis até que nosso interior mude completamente. Não há nada que possamos obter facilmente neste mundo. Para conseguir algo valioso temos que passar por muitas dificuldades. Por isso, Deus nos pede que nos esforcemos pela coroa da vida que cada um de nós receberá, para que nunca a percamos.

Espero que nós, que somos a família de Sião, tenhamos um coração e uma fé suficientemente profundos para suportar com a natureza divina as pedras que são lançadas dentro de nós, de modo que possamos cumprir a missão de revivificar o mundo inteiro com a água da vida tirada do poço da salvação.